RANGE ROVER AUTOBIOGRAPHY:
21 ANOS A REINVENTAR O LUXO

Madrid, 16 de marzo de 2015

  • O Autobiography celebra a sua terceira década no topo dos SUVs de luxo
  • Durante 21 anos, os clientes do Range Rover personalizaram o design e o luxo dos seus veículos refletido os seus gostos e preferências
  • O Range Rover Autobiography Black é o mais recente expoente máximo no que toca a equipamento e desempenho
  • A aposta da Land Rover nos serviços de personalização segue o seu percurso com o Range Rover Autobiography supervisionado pela divisão Jaguar Land Rover’s Special Vehicle

Range-Rover-Autobiography-Classic_680x450

Este ano celebra-se o 21º aniversário da introdução do conceito Autobiography da Land Rover – antes como agora, o expoente máximo no que toca à personalização do Range Rover. Durante duas décadas, o Autobiography foi o rosto da combinação entre design e luxo da Land Rover, adaptando-se consoante os gostos e necessidades dos seus compradores de modo a permanecer sempre no topo do segmento SUV.

O Autobiography foi anunciado pela primeira vez nos finais de 1993 durante o Salão Automóvel de Londres e apresentado ao público no ano seguinte. A otimização destes modelos esteve sempre nas mãos de uma equipa especializada que apostou na qualidade dos materiais e nos mais pequenos detalhes.

Desde a criação dos primeiros modelos Autobiography, os clientes tiveram sempre a oportunidade de dar azo à sua imaginação e satisfazer os gostos mais variados no que toca à escolha das cores e acabamentos interiores. A procura foi tão grande que a Land Rover rapidamente classificou o modelo Autobiography como uma edição limitada da versão Range Rover, equipando-o com os motores dos modelos LSE e novas cores exteriores e interiores. Apenas 25 unidades foram construídas de modo a conservar o seu elevado estatuto, no que ao seu preço de venda se refere, entre os connaisseurs da marca.

Para conservar esta exclusividade e procura por parte dos clientes, a Land Rover fez tudo para que os modelos Autobiography permanecessem no topo no respeitante às mais recentes tecnologias utilizadas nos seus veículos. A publicidade original foi extremamente bem-sucedida ao anunciar a possibilidade de colocação de um fax na consola traseira; desde então, o Range Rover Autobiography continuou a bater recordes com a introdução em 1997 da navegação via satélite, sistemas de televisão e vídeo.

Em 2002, a Land Rover entrou na terceira geração Range Rover, satisfazendo os gostos cada vez mais sofisticados e exigentes dos seus clientes com a introdução de sistemas de som de elevada qualidade e opções multi-play DVD. A partir dessa altura, os clientes puderam personalizar os mais ínfimos detalhes, desde a cor da pele de carneiro utilizada no interior até ao tipo de madeira dos acabamentos do habitáculo. Todos os que procuravam algo mais requintado não tinham mais do que pedir – e muitos fizeram-no.

Em 2011, a Land Rover produziu o seu modelo mais caro de sempre, o 500 Autobiography. Com um preço base de 170.000 Euros destinava-se ao mercado dos veículos com motorista e representava uma nova fasquia no que aos padrões de luxo se refere, antecipando a chegada da quarta geração Range Rover em 2013.

Range-Rover-Autobiography-L322_680x450

O modelo actual construído em alumínio leve adotou a sua própria interpretação do conceito Autobiography através do Range Rover Autobiography Black. A elaboração deste veículo foi levada a cabo pela Special Vehicle Operations, liderada por John Edwards, responsável pela engenharia e produção dos modelos Land Rover mais exclusivos.

O veículo é o puro-sangue do tudo o que a marca representa, utilizando materiais e cabedais da mais alta qualidade, aliados a um design moderno e sem precedentes. Entre outras características destacam-se o tejadilho panorâmico, os bancos com controlo de temperatura e opção de massagem, bem como o banco traseiro executivo duplo projetado com uma consola central extensível com entradas USB, e o sofisticado sistema de entretenimento com ecrãs independentes de 10.2 polegadas e tablets eletricamente destacáveis com acabamento em couro.

Segundo John Edwards, Managing Director da Jaguar Land Rover Special Operations, “Durante 21 anos, o Autobiography fez com que os nossos clientes pudessem personalizar os Range Rover mais luxuosos de acordo com os seus gostos e objetivos. Na Special Vehicle Operations vamos dar continuidade a esta tradição. O último Autobiography Black possui padrões de luxo e sofisticação mais elevados do que nunca, permitindo igualmente o mais vasto leque de personalizações.”

Os modelos atuais e futuros do Autobiography serão construídos pela equipa Special Vehicle Operations, que em breve mudará de instalações para um centro técnico mais moderno. Entre os novos serviços a disponibilizar destacam-se o acompanhamento individual do cliente, a personalização do veículo, formações e seminários e uma linha de pintura completamente automatizada.

Os níveis de luxo utilizados no Autobiography foram igualmente utilizados no Range Rover Evoque e mais recentemente no mítico Defender*. Estes modelos consolidaram a sua atratividade situando-se no topo da gama Autobiography, prometendo desempenhos otimizados e mais luxo e conforto do que nunca.

O Range Rover Autobiography está disponível no nosso mercado a partir de 146.449 €.

Mais informações e imagens sobre a Land Rover em www.media.landrover.com

Mais vídeos em alta definição em www.broadcast.jaguarlandrover.com

* Disponível por encomenda especial




An error occurred creating a component.

Component with schema "Ready To Go Bar" and view "ready-to-go-bar" and title "Ready to Go Bar" and ID "tcm:290-82911".
(Error was "There must be a CTA on the Ready To Go box, component Id tcm:290-82911 is missing a CTA")


Jaguar Land Rover Limited: Registered office: Abbey Road, Whitley, Coventry CV3 4LF. Registered in England No: 1672070

Os valores disponibilizados resultam de testes realizados pelo fabricante em conformidade com a legislação da UE. O consumo de combustível específico de um veículo pode divergir dos valores obtidos nos testes e os valores servem apenas como termo de comparação.