A INVESTIGAÇÃO SOBRE SEGURANÇA NA ESTRADA DA JAGUAR LAND ROVER INCLUI A MONITORIZAÇÃO DAS ONDAS CEREBRAIS PARA AUMENTAR A CONCENTRAÇÃO DO CONDUTOR E REDUZIR OS ACIDENTES

Lisboa, 17 de Junho de 2015

  • O projeto pioneiro “Mind Sense” (percepção da mente) da Jaguar Land Rover mede as ondas cerebrais para monitorizar a concentração do condutor no automóvel.
  • Os investigadores estão a desenvolver um Wellness Seat (assento do bem-estar) num Jaguar XJ que analisa o ritmo cardíaco e a respiração do condutor para monitorizar a sua saúde e o stress.
  • Ecrãs táteis que preveem o botão a premir com o dedo do utilizador ainda suspenso para minimizar o desvio do olhar da estrada.
  • Os investigadores da Jaguar Land Rover utilizam um novo acelerador háptico para comunicar os perigos ao condutor.

A Jaguar Land Rover revelou uma série de novos projetos de investigação em tecnologia de segurança rodoviária que estão a ser desenvolvidos para reduzir o número de acidentes causados por condutores stressados, distraídos e não concentrados na estrada.


Os projetos de investigação "Sixth Sense" (Sexto sentido) da Jaguar Land Rover utilizam tecnologia avançada dos campos do desporto, medicina e aerospacial para monitorizar o ritmo cardíaco, a respiração e os níveis de atividade cerebral de forma a identificar o stress, a fadiga e a desconcentração do condutor. Esta equipa do Reino Unido está também a investigar inovações que reduzam o tempo em que o condutor desvia o olhar da estrada enquanto conduz e uma forma de comunicar com ele através de impulsos e vibrações no acelerador.


O Dr. Wolfgang Epple, Director of Reasearch and Technology da Jaguar Land Rover, disse: “Acreditamos que algumas das tecnologias utilizadas atualmente no espaço e na medicina podem aumentar a segurança na estrada e otimizar a experiência de condução. O automóvel está cada vez mais inteligente e mais capaz de utilizar sensores de ponta. Estes projetos de investigação estudam a forma como poderíamos explorar esta situação em benefício dos nossos clientes e dos outros utilizadores da estrada.”


"Fundamental para esta nova investigação é perceber de que forma podemos medir as ondas cerebrais para determinar se o condutor está alerta e concentrado na condução. Mesmo com os olhos postos na estrada, a falta de concentração ou o sono significam que o condutor não está a prestar atenção à tarefa condutora. Podem não reparar num som ou sinal de advertência, ou estar menos conscientes dos outros utentes da estrada, pelo que procuramos meios de identificar esta situação e evitar acidentes."


MIND SENSE


A investigação “Mind Sense” da Jaguar Land Rover pretende comprovar se um automóvel consegue ler eficazmente as ondas cerebrais que indicam que um condutor está a dormir ou sonolento ao volante.


O cérebro humano gera ininterruptamente quatro ou mais ondas cerebrais distintas em frequências diferentes. Ao monitorizar continuamente as ondas cerebrais dominantes, um computador de bordo pode teoricamente determinar se o condutor está concentrado, a dormir, sonolento ou distraído.


“Se a atividade cerebral indicasse sono ou baixa concentração, então o volante ou os pedais poderia vibrar para aumentar a atenção do condutor para voltar a controlar a condução.” - acrescentou o Dr. Epple. "Se Mind Sense não detetar um pico de atividade cerebral depois de o automóvel apresentar um ícone ou som de advertência, pode voltar a emitir a advertência ou comunicar de forma diferente com o condutor, para garantir que este recebe o alerta de um perigo potencial."


O método mais comum para monitorizar as ondas cerebrais implica a proximidade da fonte através de sensores ligados a um dispositivo cefálico, algo impraticável num veículo. A Jaguar Land Rover está a estudar um método já utilizado pela NASA para desenvolver a capacidade de concentração do piloto e também pela equipa norte-americana de trenó para aumentar a concentração e a atenção.


Este método deteta as ondas cerebrais através das mãos com os sensores integrados no volante. Como a deteção decorre longe da cabeça do condutor, é utilizado um software para amplificar o sinal e filtrar as ondas cerebrais puras de qualquer ruído de fundo. Atualmente a Jaguar Land Rover está a realizar testes do utilizador para obter mais informação sobre as diferentes ondas cerebrais identificadas com os sensores do volante e que irão envolver neurocientistas de renome no projeto para verificar os resultados.


MONITORIZAÇÃO DO BEM-ESTAR DO CONDUTOR


A Jaguar Land Rover está a avaliar a forma como um veículo pode monitorizar o bem-estar do condutor com sensores médicos integrados no assento de um Jaguar XJ. O sensor, desenvolvido inicialmente para uso hospitalar, foi adaptado para ser aplicado em automóveis e detetar as vibrações do ritmo cardíaco e a respiração do condutor.

"Como desenvolvemos mais tecnologias de condução autónoma, haverá alturas em que o automóvel autónomo terá de devolver o controlo ao condutor." - acrescentou o Dr. Epple. "Para fazer isto em segurança, o automóvel vai precisar de saber se o condutor está alerta e em suficiente boa condição para assumir o controlo. Assim, a nossa equipa de investigação está a analisar as potencialidades de uma série de tecnologias de monitorização do condutor para proporcionar ao automóvel a informação que apoia esta decisão. Se detetar problemas de saúde graves ou simplesmente o nível de alerta do condutor, então pode tomar medidas para garantir que o condutor está a prestar atenção suficiente à condução para assumir o controlo."


A monitorização da saúde física do condutor pode não apenas detetar os primeiros sintomas de uma doença repentina ou grave que incapacite o condutor, mas também permitir que o automóvel controle os seus níveis de stress. Isto, por sua vez, possibilita que o automóvel ajude a reduzir o stress, por exemplo, alterando a luz ambiente, as definições de som e a climatização.


ECRÃ DE INFORMAÇÃO E ENTRETENIMENTO PREDITIVO SEM CONTACTO


A Jaguar Land Rover está a trabalhar em novas tecnologias que aumentam a velocidade e a eficiência da interação entre o condutor e o ecrã de informação e entretimento. O objetivo é reduzir a distração do condutor, minimizando o tempo de visualização do ecrã.


O Dr. Epple afirma: “O condutor olha instintivamente para o ecrã de informação e entretenimento ou painel de instrumentos quando carrega nos botões para selecionar a navegação, a música ou o telefone. É intuitivo. Deste modo, a nossa investigação analisa como podemos aproveitar um ecrã de informação e entretenimento para aumentar a velocidade e a eficiência desta interação de forma a minimizar o tempo que os olhos do condutor estão fora da estrada e que a mão não está no volante."


O nosso protótipo de Ecrã de informação e entretenimento preditivo utiliza câmaras integradas no automóvel para seguir os movimentos da mão do condutor e isto permite ao sistema prever que botão pretende premir. Por sua vez, isto também possibilita uma seleção correta do botão em pleno ar, o que significa que os utilizadores não têm de tocar no próprio ecrã. Nos ensaios de utilizador a velocidade de seleção correta do botão aumentou em 22 % e, portando, diminuiu o tempo que o condutor olha para o ecrã e não para a estrada.


Este sistema também consegue utilizar o toque suspenso para proporcionar ao condutor a sensação, também conhecida como resposta háptica, de ter selecionado o botão correto. O toque suspenso utiliza uma tecnologia ultrassónica para criar uma sensação em pleno ar, sem que a pele tenha de tocar em qualquer superfície. As sensações podem incluir um "toque" no dedo ou um "formigueiro" na ponta dos dedos. Como o toque proporciona uma resposta imediata para o cérebro, não será necessário que o condutor olhe para o ecrã para obter a confirmação visual, o que vai ajudar a manter o seu olhar na estrada à sua frente.


PEDAL ACELERADOR HÁPTICO


A háptica também pode ser utilizada para comunicar com o condutor através do pedal acelerador de modo a aumentar a velocidade de resposta e garantir a realização da ação correta.


Para criar estas sensações no pedal acelerador, a extremidade do braço do pedal integra um acionador que emite vibrações ou impulsos que atravessam o pé do condutor. A tecnologia também utiliza um motor de binário que consegue criar resistência na sensação do pedal.


Esta resistência pode ser utilizada para notificar o condutor de que está a carregar no acelerador num limite de velocidade. Em alternativa, se estiver preso no trânsito, uma advertência oportuna através do acelerador pode evitar a colisão com o veículo da frente.


O Dr. Epple acrescentou: "Para não saturar o condutor com mais sons e imagens, que o poderiam sobrecarregar e distrair, estamos a explorar outras formas de o automóvel comunicar com o condutor. A nossa investigação em pedais hápticos procura formas comunicativas não visuais que vão permitir ao condutor tomar decisões mais rápidas e inteligentes e assim reduzir a probabilidade de acidentes.”




An error occurred creating a component.

Component with schema "Ready To Go Bar" and view "ready-to-go-bar" and title "Ready to Go Bar" and ID "tcm:290-82911".
(Error was "There must be a CTA on the Ready To Go box, component Id tcm:290-82911 is missing a CTA")


Jaguar Land Rover Limited: Registered office: Abbey Road, Whitley, Coventry CV3 4LF. Registered in England No: 1672070

Os valores disponibilizados resultam de testes realizados pelo fabricante em conformidade com a legislação da UE. O consumo de combustível específico de um veículo pode divergir dos valores obtidos nos testes e os valores servem apenas como termo de comparação.