#INSPIREDBYVELAR

#INSPIREDBYVELAR

USANDO O DESIGN PARA CONTAR HISTÓRIAS

APRESENTAMOS O DESIGNER CONVIDADO VICTOR CASTANERA

Já chegou o Novo Range Rover Velar. É impactante. É contemporâneo. É avançado. É uma combinação de design icónico com tecnologia inovadora. O Novo Range Rover Velar é inequivocamente vanguardista.

Mas que efeito é que o Novo Velar tem naqueles que o veem? Este ano, um grupo de designers de vários sítios da Europa vai responder a esta questão. As instruções são muito simples: criar uma peça original que seja #InspiredByVelar usando apenas um aspeto do veículo. As obras finais serão reveladas numa exposição exclusiva na Paris Design Week, em setembro.

Victor Castanera é um dos designers do projeto. Com uma diversa gama de produtos no seu portefólio, Castanera já recebeu vários prémios distintos. De iluminação a mobília e produtos do lar, as suas peças de design já foram expostas em vários países por todo o mundo. No Velar Circle, Victor Castanera partilha a sua filosofia de design, as fontes de inspiração e o seu processo de trabalho.

O que é que define o seu trabalho?

O que tento fazer em cada projeto é criar uma história para cada objeto. Não é uma história específica, mas tem sempre de estar representada claramente nos objetos que crio. Gosto de explorar diferentes objetos, mas têm sempre um significado. Estas histórias estão muitas vezes alinhadas com um elemento da natureza ou algum tipo de fenómeno natural. E gostava de continuar com esta temática.

Refere-se à sua abordagem de design como “experimental”. Isso quer dizer experimentar com novas tecnologias?

Quer dizer que gosto de encontrar novos processos que ainda não foram encontrados. Estes processos nem sempre envolvem tecnologia de ponta. Podia usar materiais muito primitivos, como o que fiz com areia para o Areniscos (imagem abaixo) e ficar com uma nova forma que parece mesmo natural. Misturo novas técnicas com antigas para um resultado nunca antes visto.
Para os objetos que incorporam funções tecnológicas, como é que aborda estes projetos?

Cada projeto é novo. Cada projeto é diferente. No caso do Balance Lamp, o projeto partiu de uma história. Queria demonstrar diferentes elementos que condicionam as nossas vidas. Depois de fazer o esboço, tive de criá-lo. Quando tentava encontrar uma forma de construir aquele candeeiro, a tecnologia surgiu. Então, primeiro tive de encontrar uma história, ou um objetivo final. Depois, usaria a tecnologia se precisasse – novas técnicas ou materiais de alta tecnologia – para materializar o conceito. Eu vejo a tecnologia como um meio para conseguir algo, não para existir só porque sim.

Fale-nos mais sobre a inspiração. Onde é que encontra as ideias?

O primeiro passo que dou para encontrar inspiração é observar. Gosto de viajar e, sempre que vou a um sítio novo, gosto de observar os detalhes do local. Pego nalguma coisa, em folhas, por exemplo, e penso “Será que posso fazer algo com isto?”. Por isso, uma forma é colecionar objetos e outra é ter uma lista de ideias e conceitos nos quais tenho andado a pensar. Como as linhas das ondas, talvez. Depois, encontro materiais diferentes que penso que podem representar bem este conceito. Trata-se essencialmente de combinar conceitos com elementos, materiais, etc.
Vai usar o Novo Range Rover Velar como fonte de inspiração para este projeto. O que é que acha do design deste veículo em geral?

Penso que cada designer devia adorar veículos, porque tudo o que faz parte de um automóvel é de grande complexidade. Sempre me interessei por carros. Aliás, há três anos atrás estava a trabalhar para uma empresa de automóveis como designer de cores e estofos. E o mais incrível é que toda a gente trabalhou em equipas diferentes mas, no fim, todos puderam ver o produto final, o veículo, e pensar “Uau, todos fizemos isto!”.

Como é que a sua viagem criativa avançou de design automóvel para design de produto?

Não sei bem! Estava apenas a criar e a experimentar coisas diferentes a toda a hora. Quando estava na universidade, lembro-me de estar muito interessado no design automóvel. Depois, comecei a descobrir novos objetos e novas formas de criar. Também comecei a ver designers que combinavam o design e a arte, e fiquei interessado nisso também. O que eu queria mesmo era ter o meu próprio estilo, e foi isso que fiz. Encontrei este caminho, esta linguagem que acho que tenho agora.

Alguma visão para o futuro do design?

Penso que há duas vias por onde o design está a ir. Uma é completamente de alta tecnologia. A outra é que as pessoas se estão a lembrar de onde vêm. Para mim, a chave é misturar esta nova tecnologia com as nossas origens e as interações entre as pessoas. Penso que o futuro do design é aquele em que as pessoas interagem com um objeto para sentir algo. Ou em que o design cria uma interação entre o objeto, o utilizador e outras pessoas.

Como é que quer que as pessoas reajam ou interajam com o seu trabalho?

Gostava que as pessoas que interagissem com o meu trabalho o percebessem. Quando leiam o conceito por detrás, possam vê-lo de imediato no objeto. Que digam “Sim, é verdade” e não “Porquê? Eu não sinto isto, não percebo”. Esse é o grande desafio.


Junte-se ao Velar Circle e siga a viagem criativa de Victor Castanera no #InspiredByVelar. Além disso, ao inscrever-se, também poderá ser dos primeiros a receber as notícias mais recentes sobre este modelo, assim como entradas para eventos exclusivos e experiências inesquecíveis.

Jaguar Land Rover Limited: Registered office: Abbey Road, Whitley, Coventry CV3 4LF. Registered in England No: 1672070

Os valores disponibilizados resultam de testes realizados pelo fabricante em conformidade com a legislação da UE. O consumo de combustível específico de um veículo pode divergir dos valores obtidos nos testes e os valores servem apenas como termo de comparação.